Males que vêm para o bem?

Antonio Cottas
Consolidador do Racionalismo Cristão

Não adianta exigir respeito daqueles que não sabem o que isso significa. Quem não se respeita não tem capacidade espiritual para respeitar os semelhantes, e até animais irracionais. Passa a ser intuído por espíritos do astral inferior, que casam seus fluidos com pessoas que não se esforçam para aprimorar-se espiritualmente. Perde-se num mar de sentimentos e pensamentos mesquinhos, sai à cata de imperfeições e inferioridades nos semelhantes, não tem coragem de voltar seus olhos críticos para si mesmo. E ainda tem coragem de dizer, depois de sofrer as consequências dos seus maus atos e pensamentos, que há males que vêm para o bem. É muito fácil dizer esta frase bonita de efeito, pois é certo que quando algo não vai pelo amor vai pela dor. Todo mundo tem consciência do bem e do mal.

A lei de causa e efeito se faz presente tanto no bem quanto no mal. Uma pessoa, por mais maldosa que possa vir a ser, tem em si a essência da Força Criadora, é uma parcela da Inteligência Universal, tem consciência do bem e do mal, mas, à medida que se vai envolvendo com as influências negativas do astral inferior, passa a distanciar-se da consciência do bem que seu grau de espiritualidade pode fornecer.

As consequências da prática do mal ficam para aqueles que não querem raciocinar com inteligência. Não serão as vítimas de práticas maldosas por parte dos que não querem enquadrar-se nas leis evolutivas que pagarão pelos males recebidos. Essas vítimas, dito entre aspas, podem até sofrer alguns arranhões, mas, na verdade, elas não precisam ser vítimas de ninguém, porque podem usar seu livre-arbítrio, usar a consciência com toda a força do seu grau de espiritualidade, raciocinar sobre o mal que alguém quer lhe fazer e o converter em um bem, procedendo da seguinte forma: “Eu não vou revidar. Vou elevar meu pensamento, irradiar para que tenha consciência de si mesmo, e vou seguir em frente, pois minha atitude positiva tocará sua consciência. Mesmo que o bem que eu esteja fazendo hoje não o toque de imediato, um dia o tocará, quando voltar a praticar as mesmas ações maléficas contra outros”. Quem se protege é o próprio ser humano, ao não vibrar sentimentos mesquinhos de forma análoga.

Meus amigos, a espiritualidade é para todos, pois todos são espíritos, têm as mesmas condições para evoluir, não importa o grau de espiritualidade em que cada um se encontre. Todos têm consciência do bem e do mal e podem escolher o seu caminho. Por mais que as adversidades sejam fortes, por mais que as implicâncias sejam constantes, o certo é seguir em frente e jamais olhar para trás.

Caso os espíritos de grande evolução que encarnaram neste planeta se importassem com as picuinhas dos seus irmãos em essência, o mundo estaria pior do que se encontra. É assim a vida: se há tropeços, arranhões, também se há de seguir sempre em frente, porque as dores passam. Deve-se renascer das próprias cinzas, como diz a lenda da Fênix. Só que nenhum espírito chega a essa condição. Às vezes, acha que está perdido, que nada o salvará. Ledo engano. É só se sacudir, e verá que não há cinzas, que nada se desfez. É seu olhar que está interpretando mal as adversidades. E tudo voltará a ser como deve.

Os racionalistas cristãos bem como os demais espíritos encarnados neste mundo têm a assistência do Astral Superior. Gostaríamos de nos aproximar de todos e despertá-los para a consciência de si mesmos. Mas temos de respeitar o livre-arbítrio de cada um. Para nós não há fronteiras, culturas ou religiões.

Espírito é espírito, uma parcela da Força Criadora. Quando se valoriza, passa a sentir a potencialidade que existe em si, ninguém o segura, não há corrente inferior que o trave. Ele passa por cima de todas as adversidades e, com muita honestidade, chega ao seu objetivo sem deixar de ajudar o semelhante. Não pensem que, quando ajudam o semelhante, estão parando no tempo. Muita gente não ouve o semelhante, não lhe estende a mão, porque acha que vai perder tempo. Perde-se tempo quando não se olha para o próximo quando ele precisa.
Ao se estender a mão com elevação espiritual, ou mesmo lhe dirigir um olhar positivo sem se envolver com suas maldades, não se para no tempo. É o egoísmo e uma gama de sentimentos inferiores que fazem os seres humanos estagnarem na sua evolução espiritual.

Olhem de verdade para o próprio interior, pois assim conseguirão enxergar todas as parcelas da Força Criadora, que estão interligadas. Se não conseguirem formar um bom sentimento social e espiritual sobre o semelhante, devem trabalhar, e muito, o seu interior. Olhem bem fundo para dentro e chegarão à felicidade que tanto almejam, ainda que neste mundo ela seja relativa. Lembrem-se de que não há preço para pagar a paz de consciência.

 

Página principal | Arquivo